sexta-feira, 5 de novembro de 2010

A síndrome do sapo-boi


Sabe uma coisa que me cansa deveras? É essa mania das pessoas em não respeitar os outros. É esta sempre pseudo-superioridade, seja intelectual (que sinceramente mais me incomoda), financeira ou social. Este ar de "eu sei", "eu sou", essa vaidade sem fim...Vai pra puta que pariu com isso! Uma mania feia de rir do gosto alheio, essa ridícula pose por gostos americanizados, uma visão europeizada  de brasileiro esquizofrênico que mora no Brasil e quer viver como se estivesse em Paris, negando sua cultura, rejeitando seu povo, sua brasilidade e mais, não sabe aqui "morar", sendo um péssimo inquilino e vizinho.

Eu sei que a pós modernidade não é lá grande coisa, ela nos encheu de vícios e nos individualizou, mas, ela tem os seus benefícios, entre eles a liberdade no pensar, no gostar, no expressar...Eu acho mesmo brega indivíduos que participam e têm acesso maior à determinadas culturas e mesmo a informação começar a desdenhar de quem não tem/teve as mesmas oportunidades ( e isso não significa dizer que não possua cultura), ou ainda ficar criando situações para mostrar seu acarbouço intelectual só para comparar e se sentir feliz em ser "o mais inteligente" ou o "fodão". Na real, isso é facilmente diagnosticável: complexo de inferioridade.

Então, por favor pessoas (me incluo neste pedido), vamos respeitar as opiniões, gostos, ideias, chatices, bizarrices, exageros, conhecimento, pouca sapiência, que seja, enfim, ter a sabedoria da humildade e respeitar o diferente. Não precisa interagir e nem aceitar, mas convenhamos que é muito mais chique e civilizado praticar o respeito, em pleno século XXI, onde as diferenças são tão acentuadas, isso é o básico!

O verdadeiro conhecimento vive longe da bossalidade e dessa vaidade inflável, ele reside em leitura de livros, mas também de olhares, gestos, pessoas. Vive na sensibilidade e na sociabilidade. Isto chama-se ser humano e não é privilégio de poucos...Não se aprende em academias e sim na vida, tanto no Brasil, quanto no Iraque, nos EUA ou  em Paris, conhecendo ou não as grandes obras universais, ouvindo as mais lindas sinfonias, interpretando as mais cultas obras literárias. Posso aprendê-la na feira também, no campo, num boteco, em casa...
Há os que querem fugir dos clichês e por isso sentem no direito de se auto-intitular detentores de intelecto (coisa que todos os portadores de cérebro tem), de toda a sabedoria...Acabam caindo numa armadilha. 'Pela amor'!

Sabe o que é que eu quero e no fim é o que realmente importa? Eu quero é passar o tempo mínimo possível na frente do computador, quero continuar a desenhar minhas palavras no rascunho de papel da vida, quero a brisa matinal da janela de um õnibus sobre o meu rosto, quero bater um papo com as pessoas da rua, rir litros na mesa de um bar numa roda de amigos, quero tratar as pessoas com dignidade e sempre poder continuar a dizer o que eu penso sem medo de ofensas, quero simplicidade, quero a sensibilidade de entender as pessoas, quero e gosto do popular e isso não é ser senso comum, pois, as gentes só me ensinam a ser mais eu. Eu só quero adquirir conhecimento e passar adiante, e não usá-lo para encher o meu ego. Eu não quero ser um sapo-boi!

Eu só quero amar e respeitar as pessoas, compartilhar nossos saberes, em suma eu quero o que todo mundo deve querer também, alguns com mais voracidade. Porque eu aprendi, que seja gari ou professor dr., todos têm a me ensinar e nosso destino final se cruza, lá debaixo da terra, onde não há divisão por intelectualidade extrema ou ignorância, a verdadeira ignorância é a petulância de se julgar superior em detrimento dos outros.

Ana Paula Duarte. Campanha contra o ego inflado, pleeease!

Ps: Primeira vez que xingo aqui, perdão, mas, enjoei de pseudos, daí o vômito.

"Um momento de revolta não poderia fechar como um obrigado pessoal..rsrs." By Gutox Hieros

16 comentários:

tossan® disse...

Sabe de uma coisa? Você disse o que muita gente quer dizer e não sabe como e onde. Parabéns! Beijo

O Nosso Mundo da Imaginação disse...

Lindíssima e Simpática Amiga:
Tudo o que diz eu concordo.
Registei:
"...O verdadeiro conhecimento vive longe da bossalidade e dessa vaidade inflável, ele reside em leitura de livros, olhares, gestos, pessoas. Vive na sensibilidade e na sociabilidade. Isto chama-se ser humano e não é privilégio de poucos...Não se aprende em livros e sim na vida, tanto no Brasil, quanto no Iraque, nos EUA ou em Paris,..."

São aos chamados eternos descontentes.
Os pseudo-intelectuais, sabe?
Não sabem ser humildes e honestos.
Estão "esteriotipados" e "desajustados" na sua maneira de ver o mundo.
Linda.
Adorei.
Abraço amigo de uma grandeza pelo que é e pelo seu extraordinário talento no que concebe de fascinar.
Com respeito e admiração constante.
Admiro-a, sabe?
MUITO OBRIGADO pela sua amizade que é recíproca.


pena

É maravilhosa.
Perfeita.

João Gilberto disse...

Tem razão: nada pior que um sapo-boi e seu ego inflável.

Até mais doutora.

PS: Gostei do "rir litros na mesa de um bar numa roda de amigos", era o que eu mais queria agora, depois de um dia de trabalhos da faculdade.

Bloomer disse...

Apesar de ser um texto subjetivo é algo que vemos todos os dias e que também me incomoda. Gostei bastante.

Continue assim Ana Paula!

Do amigo virtual João Guilherme Júnior
Do blog http://bloomer.blogspot.com

Dani Pedroza disse...

Campanha aderida!!! Bjs.

Antônio Luiz Gomes disse...

Olá Ana Paula ! Gostei de seu blog e a achei muito simpática. Já estou te "seguindo". Sou de Pernambuco,mas resido em Goiânia,Go. Quando era criança moramos em Vitória da Conquista,BA.Meu pai era comerciante e fazia feiras em Feira de Santana.Eu tinha o6 anos de idade e algumas vezes ia com ele.Tenho descendência direta de portugueses(meu avô), e a loja que meu pai tinha em sociedade com meu tio se chamava "A Lusitânia"..Fui mais de uma vez em sua cidade,mas não a conheço,pois era muito criança. Tenho parentes em Vitória da Conquista. Visite-me também. Sou Assessor Jurídico(formado em Direito),porém, meu hobby é escrever.Estou prestes a publicar meu primeiro livro. Felicidades. Siga em frente.

Braulio Pereira disse...

olá Ana Paula

como sempre adoro ler-te

bom fim de semana


beijos!!

Léo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Léo disse...

Como perde quem não mergulha na comtemplação da diversidade e em experimentar de multiformas o pontencial dessa brasilidade única. Eu não consigo ser americanizado por que quando olho pro mar de onde moro vejo o reflexo do céu e do sol que está sobre a minha cabeça e sei que do angulo que os vejo dessa terra chamdada Brasil não se vê mais de nenhum lugar desse planeta. rsrsrs Aníssima, amei esse espaço aqui. bjs!

Herberth disse...

PRAZER

Eurico disse...

Assino embaixo. E aprendo muito aqui. A vaidade só torna o homem ridículo.
Gostei da tua indignação e alio-me a ti.
E grato pela honrosa visita.

Weslley M. Almeida disse...

Caramba, li com gosto esse texto. E certamente vou levar comigo algumas lições...
Ri pra caramba no "Vai pra puta que pariu com isso!" rsrs!
Esse jeito despojado encarna a sinceridade, e dá uma sensação mais tête-à-tête do leitor com o escritor...
O ego da gente é um veneno que alí, se espalhar mata a gente, mata o outro...

Abraços!!

Thatica. disse...

Bom dia lindona!

obrigada por passar em meu blog..

estou te seguindo viu?

ah, e amei o post..sobre a sindrome do sapo boi..

sexta feira eu comentei com um amigo sobre isso.. determinadas brincadeiras e falta de respeito..

um super beijo e tenha uma ótima semana!

Luiz Neves de Castro disse...

"Não há considerações gerais a fazer, tá tudo aí". Tudo foi dito com uma fina ironia e muita clarividência. Um afetuoso abraço e um Natal repleto de alegrias.

Dekinho Matos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dekinho Matos disse...

Engraçado, estive discutindo com alguns manos que diziam que assim eu ando a me humilhar, coisa e tal; então eu disse que não, que eu já sou humilde de coração, gosto da simplicidade. A vida é simples, os 'outros' é que a complicam!
Ana Paula, sou seu seguidor, tio de Ana Matos, minha poetisa, sua amiga. Se seguir meu blog, garanto que encontrará prazer na simplicidade...
Espero, né!
Grande abraço.