terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Eu sou um monstro

Eu sou um monstro
E dentro de mim me escondo
E dentro de mim eu cresço
E apareço
E tudo que quero não vem
E tudo que amo se vai
Você tinha razão!
Sinta-se feliz agora,
O nada, eu, o eu, um nada!
A merda,
O lamento, o desencanto que logo chega
Porque posso parecer encantadora a princípio,
Mas logo emerge o monstro...
E todos se afastam.
Quem se achegaria a um bicho?
Que desequilibra, que fere e causa asco
Insuportável teimosia
De assim permanecer...
Descobri que é essência e que devo em uma ilha deserta padecer.

Porque é em ti que me escondo, poesia. Aparentemente só você me entende.

Ana Paula Duarte. Eu-lírico?... Mistérios de Aníssima..Muahahaha.

6 comentários:

Poeta del Cielo disse...

que versos fortes... mais una unica coisa e certa quem ama vive quen sente pode errar... quem nao erra.. a perfecao e dificil o importante e saver que podemos mudar ....

saludos
otima semana
abracos

feliz ano novo

Everson Russo disse...

Acho que todos somos,,,todos temos nossos monstros,,,todos acertamos e erramos pelos caminhos...beijos de bom sabado pra ti querida.

Everson Russo disse...

Um grande beijo de otimo domingoe e uma semana repleta de carinho e paz...

Long Haired Lady disse...

todos temos os dois lados. cabe a nós liberar o que queremos...

beijo!

Amor feito Poesia disse...

Que Deus enfeite teu dia,
e beije o teu coração.
Para que tudo se acalme,
e tenha um dia de amor,
de esperança no futuro,
e muito calor humano .

Beijos & Flores.......M@ria

Dekinho Matos disse...

Interessante como poetas, normalmente, se tornam monstros para os normais...
Esse seu modelo de blog é deveras interessante! Gosto de seus textos.
Abraço!